Tantum

Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas… continuarei a escrever. – Clarice Lispector

PEDA-Post Eery Day August 08* “Efeitos De Uma Sociedade Moderna”

Efeitos De Uma Sociedade Moderna

A sociedade enquanto “mundo” se encontra em época medieval onde a população que vive e convive em um âmbito  social pode perceber que após a ‘Idade Moderna’, que aconteceu em meados da  Revolução francesa trouxe com ela nova visão social e hierárquica , com isso os seres humanos passaram a ser individualistas tendo como base a razão. Passando a ter o próprio eu como centro do universo (pessoal e único).
Essa teoria é mais conhecida como antropocentrismo- (Do grego- anthropos, “humano”; kentron, “centro”), tendo reflexos psicológicos pós modernismo. A depender dos casos causando doenças psicológicas, chegando a tal grau que afeta o próprio físico do indivíduo.
Isso ocorre na maioria das vezes em grandes cidades, acompanhadas de poucas horas de sono, tendo como consequência uma vida social pouco ‘movimentada’, junto ao excesso de trabalho unido ao transito caótico. Esse fatores causam no individuo sérios problemas, psicossociais que refletem na má inclusão desse individuo em sociedade, prejudicando seu rendimento de trabalho.
A melhor maneira para que esse individuo consiga, resolver esses problemas, é na mudança de hábitos. Tendo uma vida social mais ativa, tendo mais horas de sono, e é claro em atividades de descontração, onde ele consiga descansar seu cérebro, “abstraindo” todo e qual quer stress da semana.
Sendo assim, procuremos quebrar a rotina. Vivamos uma vida moderna, mas e realizados tendo uma visão diferente, deixando de sermos tão individualistas. A modernidade trouxe com ela, um conjunto de fatores sociais que tonaram pessoas a cada ano mais individualistas e altruístas. Comecemos  agora uma vida leve, descontraída com responsabilidades, mas sendo solidário, uns com os outros.

PEDA- Post Every Day Every 07*

Imagem

São 19:03, estou aqui a cerca de três horas, olhando para uma tela em branco. Não consigo escrever nada. Meu pensamento está muito longe das palavras e fixos em ideias, minha mente está coberta de ideias e vontades, mas as palavras simplesmente não conseguem fazer conexão com as ideias.
É pensei que conseguiria escrever todos os dias sobre um assunto, dar minha opinião, mas todos os dias é bem mais difícil do que eu pensava.
Estou sem a minima criatividade. Queria mesmo viajar, sair um pouco, colocar a cara na rua. Sei que não dá pra mim trabalhar em um escritório o tempo todo. Eu gosto de lidar com as pessoas, conversar, colocar a cabeça pra  funcionar gosto invetar coisas.
Escrevo um pouco paro, escrevo olho coisas e paro.  E assim vou terminando um texto que nem eu mesma sei como comecei.
Tenho que quebra essa redoma que me cerca, estou descontente com o que me rodeia, então se eu quero que tudo isso mude a mudança tem que partir de mim. Pra que isso aconteça a auto motivação é o principal.
Dia difícil mas tudo bem, vamos seguindo em frente. São 22:00 agora e eu não consigo mais raciocinar, vou pegar meu livro, minha xícara de café, e ligar pra um amigo pra conversar, prometi que ligaria, então… Uma dica pra você, escreva pra você, mais ainda por você.
Perdoe-me as poucas palavras, mas pra hoje esse é o meu ‘tudo’!

PEDA- Post Every Day August 06*

Imagem
Continue a escrever,,,

‘Escrevo porque amo, escrevo pra consegui, dispender-se de mim, e por que faço das palavras o meu próprio espelho… ‘
Ideia que me angustia, é o fato de que todos os nós, desde que nascemos nunca vimos o nosso próprio rosto sem o auxilio se espelhos ou reflexos. Você já viu o seu rosto apenas com seus olhos? 
O que vemos no espelho é apenas o nosso reflexo, então podemos ser diferente do que vemos, ao depender do ambiente, do espelho e de outras variáveis
Mas quando me vejo em palavras eis que consigo me ver por completa, consigo me entender, me descobrir. Consigo  me reinventar, Condigo viver, me entender, amar, rezar. 
Através das palavras eu posso voar, em um mundo só meu, posso me desconectar da razão, me mergulhar em sentimentos. Fujo, pois sempre fui guiada pela razão e por diversas vezes me magoei, sofri profundamente.  Mas quando mergulhei no sentimento, descobri novas possibilidades, novas maneiras de viver, mas dessa vez mergulhei de uma forma diferente. 
Certo dia olhei para o a mar de sentimentos e sobre o pier amarrei uma corda gigantesca, essa corda se chama razão, amarei-a no pier e em  um dos meus pés e dei um grande salto para o mar, e mergulhei de cabeço nos sentimentos. Hoje eu precisei ser um pouco puxada pela razão, mas ainda continuo mergulhada nessa parte do mar, que se chama ação;